Páginas

quarta-feira, 12 de setembro de 2012

Guia de Corrida para Mulheres!!

Este assunto irá render algumas postagens pois para elas, correr é disposição, saúde, beleza, bem-estar e socialização. Confira dicas com foco nas necessidades específicas das mulheres, tudo para melhorar o desempenho nas pistas e garantir uma vida longa.


As mulheres estão ganhando as pistas, em maio de 2012 a participação feminina no mundo da corrida ultrapassou a marca de 37% dos associados da Corpore, principal organizadora de competições no Brasil. "Em alguns circuitos de curta distância, a presença chega a 50%"dia o diretor executivo da entidade, Armando Cunha Santos. "Nos Estados Unidos e na Europa, elas já são metade até mesmo em alguns percursos mais longos". No entanto, é importante e necessário saber que existem diferenças anatômicas, neuromusculares e hormonais entre homens e mulheres que requerem atenção para correr com mais segurança e performance.

"Como tem aumentado de corredoras, uma série de pesquisas nessa área surgiu no país nos últimos 5 anos. A medicina cada vez mais se dedica a entender a anatomia e a mecânica da corrida delas", conta o médico especialista em cirurgia do joelho Adriano Leonardi.


Cérebro, nervos e músculos: A mulher tem mais flexibilidade muscular e articular, reduzindo a chance de distensões, mas em comparação aos homens, possuem mais risco de torção, lesões ou microtraumas por repetição. Para melhorar o desempenho e evitar lesões, o ortopedista  Adriano, recomenda exercícios de aceleração e desaceleração dos músculos individualizados e com orientação, exemplos, saltos e mudanças súbitas de direção, que desenvolvem ritmo, velocidade, resistência e força. 

Ossos: A menor massa óssea nas mulheres magras traz um ganho: baixo peso por área corpórea e consequentemente menos fadiga ao praticar esporte. Na menopausa, com a falta do hormônio estrogênio, a atuação das células que consomem os ossos é maior que as que repõem.

Assoalho pélvico: Corredoras que fazem a lição de casa na musculação afastam a probabilidade de desenvolver incontinência urinária.

Quadris: A bacia mais larga, pode causar mau funcionamento dos músculos dos quadris, principalmente dos glúteos médios, nas laterais, responsáveis por estabilizar toda a pelve durante a corrida. Para deslanchar nas pistas, é importante fortalecer essa região.

Sistema reprodutor: é possível correr em qualquer período do ciclo menstrual, quem manda é sua disposição.

Tornozelos e pés: Sem o condicionamento físico adequado, há chance de sobrecarga nos ligamentos e de lesões como canelite e fratura por estresse. Isso porque a largura e o comprimento dos ligamentos dos tornozelos e joelhos são menores, deixando-os mais frágeis.

Joelhos: A tendência é que as mulheres apresentem o que os médicos chamam de joelho valgo, quando o formato das pernas lembra um X. A patela fica posicionada fora do seu eixo e não desliza como deveria, causando atrito lateral.


Esse guia de corrida para mulheres continua no próximo post, com mais matérias dedicadas a vocês mulheres que já fazem ou pensam em fazer parte desse grupo de corredoras que só cresce a cada dia que passa.

FONTE: Revista Runner's (Agosto 2012)
OFERECIMENTO: http://www.formulaatletica.com.br/

Lembre-se que antes de iniciar atividade física, procure um médico e um profissional de Educação Física.

Um comentário:

Olá leitor, seguidor

gostou da matéria? Deixe um comentário para nós!

Obrigada pela visita e retorne sempre!!